Uma construção musical atmosférica, que preza pela subjetividade em busca das sensações que as canções geram. Esse é o objetivo que marca o projeto solo do multi-artista curitibano Rapha Moraes. Com um trabalho visual conceitual que traz as impressões e sentimentos do ouvinte para somar como parte da construção artística, ele divulga o disco OA.

O disco funciona como uma amostra da amplitude do trabalho do paranaense. Moraes, que é diretor audiovisual, produziu e dirigiu os vídeos do projeto. Lançado anteriormente apenas como OA, o trabalho de Rapha Moraes nos vídeos para os singles “Céu 1” e “Mais Do Que É” foi uma representação sensorial para que o ouvinte se incluísse na ambientação das músicas.

A inspiração veio de um livro autobiográfico escrito por Santos Dumont. Em Meus Balões, o aviador e inventor contrapõe a noção de que o que voa é mais pesado que o ar com a constatação de que havia feito um navio voar no céu. Das ideias de densidade e leveza, aparentemente opostas, surgiu a metáfora ideal para o novo projeto. Inicialmente batizado de O mais leve que o Ar, passou para O AR e se tornou apenas OA.

Ele começou a ser construído em 2016, com composições de Moraes, que desde o início já pensava em ter um nome para o álbum que oferecesse mais amplitude que somente sua própria imagem e pessoa. Entre 2017 e 2018, o álbum foi gravado, produzido e masterizado.

“O processo do álbum me fez enxergar a musicalidade das palavras em paralelo ao sentido que há nelas, que sempre foi o meu foco. É um álbum subjetivo e essa soma das sensações foi o caminho que buscamos para oferecer várias interpretações”, conta.

Os vídeos e lyric vídeos de OA podem ser vistos a partir do canal do YouTube do cantor, abaixo. Já o álbum está disponível em todas as plataformas de streaming:

Categorias: Descubra