“Escolhi estas cinco bandas porque acredito que elas darão aos leitores um panorama amplo [da música argentina]. O movimento independente está no seu melhor momento. Existem recitais em todos os lugares, bandas cada vez mais talentosas, mulheres cada vez mais presentes e discos que chegaram para salvar as nossas vidas.”

As palavras são de Barbara Jack, nossa segunda colaboradora na série de matérias especiais em clima de Copa do Mundo, a Copa Mad Sound. Ela é uma jornalista argentina que está profundamente mergulhada na cena musical dos hermanos. É diretora da Radio Colmena, uma rádio online que se define como “um projeto feito por pessoas que acreditam na cultura do fazer, do independente, do auto gerenciado, na música e no feminismo”.

LEIA TAMBÉM:
Copa Mad Sound: Conheça 5 (ótimos) artistas franceses recomendados por um jornalista local

Por lá, ela comanda desde agosto o Éste no es un programa de radio más. Barbara também apresenta o Tomorrowband em uma das principais estações FM da Argentina, a La 100. Ou seja, alguém que merece (demais!) a sua atenção se o assunto é a música do país.

As cinco recomendações dela são bandas representantes do rock independente argentino, que vão desde novatas até nomes mais consagrados na cena. Apesar das diferenças estilísticas, uma característica se destaca: o uso de histórias pessoais que esbanjam carisma e, por vezes, exploram a amada sofrência para conquistar o público. Olha só:

1. Las Sombras

Las Sombras. Crédito: Reprodução/Facebook

“A música deles te faz viajar no tempo”, opina, sobre o grupo de rock de letras românticas, fundado na capital da província de La Pampa, Santa Rosa. Em 2018, lançaram Crudo, que é, até agora, o melhor disco do ano para Bárbara, e chega dois anos após o álbum de estreia autointitulado. É um som que te faz dançar ainda que sentado, com um blues puxado dos anos 1970 embalado pelo charmoso sotaque argentino. Mas se engana quem acha que Nicolás Lippoli (vocal e guitarra), Manuel Fernández (vocal e guitarra), Julián Pico (vocal e baixo) e Mauro López (bateria) estão voltados para o passado. “Não queremos fazer rock vintage: queremos criar uma nova atmosfera”, disse Lippoli, em entrevista à Rolling Stone Argentina.

Ouça Crudo, e abaixo assista aos clipes de “Vos y Yo” e “Van Detrás”, do primeiro disco Las Sombras.

2. El Mató a un Policía Motorizado

Santiago Motorizado, vocalista do El Mató a un Policía Motorizado. Crédito: Reprodução/Facebook

Nas palavras de Barbara, é “a banda argentina indie por excelência”. No ano passado, soltaram La Sintesis O’Konor, sexto álbum da carreira, que para a jornalista é “o melhor disco de todos os tempos da cena independente” e, para a crítica da Rolling Stone, é uma “aposta mais ampla na relação do quinteto com o mundo exterior”. “No disco melódico, versátil e moderno, El Mató deixa para trás a bolha do indie e se equipara ao rock nacional que toca nas rádios”, afirma Pablo Potkin, sobre o grupo formado por Santiago Motorizado (vocal e baixo), Doctora Muerte (bateria), Pantro Puto (guitarra), Niño Elefante (guitarra) e Chatrán Chatrán (teclados). “Motorizado [também] é um dos criadores do selo Laptra, que tem no catálogo outras bandas excelentes, como Bestia Bebé e 107 Faunos”, pontua Barbara.

Ouça La Sintesis O’Konor, com atenção especial para os singles “Ahora Imagino Cosas” e “Excalibur” — uma rápida ode à tristeza, com Motorizado repetindo um verso que já passou pela cabeça de todos nós: “por qué tuviste que decirme eso? (“por que teve que me dizer isso?”, em tradução livre).

3. Isla Mujeres

Isla Mujeres. Crédito: Reprodução/Facebook

A mais nova de todas as bandas aqui recomendadas. Amparo Torres (vocal e guitarra), Julia Barreña (vocal e teclados), Elena Radiciotti (vocal e baixo) e Faustina Sagasti (bateria) formam o grupo que lançou o primeiro EP, Naturalia, em 2015. “[Elas têm] letras cativantes e um som platense”, diz, com o adjetivo que se refere ao que vem da cidade de La Plata, a 56 km de Buenos Aires. “São uma linda oportunidade de conhecer o universo feminino.” Em 2017, lançaram o primeiro disco cheio, Otras (ouça aqui).

Abaixo, assista à performance ao vivo de “Ataque de Pesadillas” e ouça “Casi Dos”, faixa que abre o álbum.

4. Mi Amigo Invencible

Mi Amigo Invencible. Crédito: Reprodução/Facebook

“Cada disco deles é um novo mundo”, estabelece Barbara. E a opinião da jornalista parece condizer com a proposta do vocalista Mariano Castro: “fazemos canções de rock para que você viaje para onde quiser”, afirmou, em entrevista à Rolling Stone. Provenientes da cidade de Mendoza, Castro, Leonardo Gudiño (percussão e vocal) Arturo Martín (bateria), Juan Pablo Quatrini (baixo), Nicolás Voloschin (guitarra), Pablo Di Nardo (sintetizadores) e Mariano di Cesare (vocal e guitarra) já estão na estrada há mais de uma década e em 2018 soltaram o EP Ciencias Naturales, três anos após o celebrado disco La Danza de los Principiantes. “São letras incríveis, eles cantam a vida.”

Ouça Ciencias Naturales, e abaixo assista aos clipes de “Nuestra Noche” e de “El Mismo Sol” (ambas do EP Nuestra Noche, de 2017).

5. Viva Elastico

Viva Elastico. Crédito: Joakin Fargas

Nas palavras de Barbara, Ale Shuster é o “melhor compositor da cena independente [argentina]”. “As canções dele contam histórias que todos já vivemos alguma vez”, explica. No ano passado, a banda soltou o terceiro disco de estúdio da carreira, No Es Privado, quatro anos depois do antecessor Agua, Sal y Fiebre, e se consolidou como grupo para a Les Inrockuptibles Argentina. “No Es Privado deve ser o álbum em que o Viva Elastico mais parece se divertir: explora sons, cadências e estilos. Mas também é o álbum em que, não importa o que aconteça, mais soam como eles mesmos.”

Neste ano, o grupo lançou um single com o líder do El Mató a un Policía Motorizado, Santiago, intitulado “Todos los Problemas”. Assista ao clipe abaixo, junto ao vídeo de “Cansado de Ver la Hora”, de No Es Privado (ouça o disco na íntegra aqui).

Categorias: Listas