Kevin Parker, vocalista do Tame Impala, deu indícios de que o sucessor de Currents (2015) deve ser lançado ainda neste ano ou em 2019. Ele disse que ele está “pronto para tocar novas músicas” e que ficaria “muito desapontado” se o quarto disco de estúdio da banda não saísse neste período. A declaração foi dada durante uma entrevista recente a Matt Wilkinson, do Beats 1.

“Eu gosto que a primeira vez que as pessoas ouvem falar sobre isso, é como se fosse uma gravação gloriosa”, afirmou. “Parece que foi algo premeditado, que eu tenho trabalhado há anos, em vez do que eu realmente tenho feito — que é ficar meio bêbado quando estou fora do palco e tocar umas notas.”

Durante a conversa, ele também falou sobre a colaboração que fez com SZA e Mark Ronson, dizendo que ele “não pode fazer muito além de torcer” para que ela realmente seja lançada. Apesar de SZA ter falado sobre um álbum colaborativo, o vocalista sugeriu que é mais possível que apenas uma canção, “Back Together”, seja divulgada. Parker também revelou que recentemente passou algum tempo no estúdio com Travis Scott — sem esclarecer em quê trabalharam juntos — e disse que faria algo com Alex Turner se o líder do Arctic Monkeys o contatasse.

O vocalista também esclareceu a confusão sobre a participação dele no disco mais recente de Kanye West, ye. Ele havia dito que “Ghost Town” tinha samples dele, mas voltou atrás, e depois confirmou que havia sido creditado em “Violent Crimes”. “Um turbilhão de coisas acontecem ao mesmo tempo, e ninguém entende direito”, disse, sobre o processo criativo de ye. “O Kanye fica no espaço dele, jogando ideias, falando sobre elas, mesclando coisas, e vendo o que funciona. Muitas vezes ele nem sabe quem trabalhou no que, e decide qual parte vai para cada música no último minuto.”

Categorias: Notícias