TTNG, trio formado pelos irmãos Tim Collins (guitarra), Chris Collins (bateria) e Henry Tremain (vocais e baixo), fez sua primeira apresentação no Brasil neste último sábado, 18, em São Paulo. A noite teve abertura da banda paulistana E A Terra Nunca Me Pareceu Tão Distante

Com seu ótimo post-rock, EATNMPTD aqueceu o público que ansiava pela apresentação do TTNG. O trio, por sua vez, se juntou à galera e curtiu o som dos brasileiros, que entregaram uma performance digna de headliner e preencheram cada canto da Fabrique Club com suas várias camadas de guitarra, efeitos de pedais, bateria estrondosa e baixo impecável. 

Às 18h em ponto, as cortinas foram abertas e TTNG estava posicionado no palco para dar início a uma grande celebração de amor e música. A banda é pioneira na fusão do math rock com o emo, considerando que o primeiro gênero é muito técnico e muitas vezes deixa o fator emocional de lado. Ao lado de bandas como American Football, os britânicos do TTNG incorporam letras introspectivas e sentimentais ao instrumental extremamente técnico.

Superando alguns problemas com o som da casa, eles abriram o show com “Chinchilla”, do aclamado álbum Animals, de 2008. O público, com a letra na ponta da língua, pulou e cantou com muita paixão. A fantástica “Cat Fantastic” foi introduzida e muito bem recebida, seguida por hits como “Adventure, Stamina & Anger” e “Pig”.

Os intervalos entre canções revelavam o alto teor técnico do trabalho do TTNG, afinavam seus instrumentos e comunicavam constantemente a equipe de som para realizar ajustes. Queriam entregar somente o impecável para o público que não se incomodou com as pausas. Sem perder a conexão, Henry brincava com a plateia e agradeceu o carinho que receberam ao longo da apresentação. Todos deram risadas quando o vocalista expressou sua surpresa com a repercussão da banda no Brasil: “Nós somos uma banda pequena, já é incrível poder tocar para uma casa tão cheia assim, mas tem ambulantes do lado de fora vendendo camisetas falsas! Isso é demais”. Riu e disse que estava até considerando comprar uma ou duas. 

Quem foi esperando apenas assistir a um show pode ter ficado surpreso com o que presenciou – um grande grupo de amigos. A plateia e a banda estavam em grande sintonia e se divertiram, como se já se conhecessem. “Olhem para esses geeks da música! Eles sabem o que vamos tocar só de ouvir a primeira nota!”, riu Henry ao perceber que todos sabiam que começaria “Pig” quando tocou o primeiro segundo da canção. “Essa é para os geeks”, dedicou uma das mais animadas da noite. 

O vocalista parecia a vontade e convidou todos para curtir a noite com a banda após a apresentação. Confessou, no entanto, que seu desodorante havia acabado há dois dias e seu odor talvez não fosse o mais agradável, o que levou para um dos momentos mais engraçados do sábado. Muitos apontaram para um fã do trio que, aparentemente, teria sempre consigo um desodorante e o emprestou para Henry. Isso rendeu que a próxima canção fosse dedicada ao “cara do desodorante”, como foi apelidado pelo vocalista. 

A performance curta mas precisa foi encerrada por duas grandes favoritas entre o público, “If I Sit Still, Maybe I’ll Get Out of Here” e “26 Is Dancier than 4”, que foram embaladas por um lindo e alto coro dos fãs, emocionando a banda que não escondia o sorriso largo. Podemos dizer que a uma hora tocada foi muito especial para quem estava presente, finalmente podendo celebrar a arte de um dos maiores nomes do math rock mundial e, além de tudo, formando uma amizade sincera com seus ídolos. 

Confira as fotos do show feitas por Rafael Andres da Silva e em seguida a setlist do TTNG em São Paulo:

previous arrow
next arrow
Slider
  1. Chinchilla
  2. Cat Fantastic
  3. Baboon
  4. Adventure, Stamina & Anger
  5. Left Aligned
  6. Pig
  7. Gibbon
  8. Havoc in the Forum
  9. Whatever, Whenever
  10. If I Sit Still, Maybe I’ll Get Out of Here
  11. 26 Is Dancier Than 4
Tags: