Interpol já estava na turnê de seu terceiro álbum, Our Love to Admire, quando se apresentou no Brasil pela primeira vez, em 2008. Na última sexta-feira, 7, em São Paulo, os fãs brasileiros da banda nova-iorquina vivenciaram aquilo que não tiveram a chance de fazer no começo do século: ouvir ao vivo, quase na íntegra, as músicas dos dois primeiros discos da banda: Turn On The Bright Lights e Antics.  

Interpol começa com o álbum Turn On The Bright Lights

Dividido em duas partes, uma para cada álbum, o show começou com “Specialist”. A faixa é quase um easter egg na discografia do grupo. Isso porque a música apareceu pela primeira vez no EP Interpol, meses antes de Turn On The Bright Lights ser lançado, em 2002. Ao contrário de “PDA” e “NYC”, que completam o EP e fazem parte da tracklist do álbum, “Specialist” entrou como faixa bônus apenas nas versões da Austrália e do Japão. Dois anos depois, a canção apareceu na trilha sonora do seriado The O.C., conhecido por popularizar bandas como The Killers e Death Cab for Cutie. E, no aniversário de dez anos do Turn On The Bright Lights, ressurgiu em um dos dois discos da edição especial, ao lado de outros B-Sides e demos.

Foi com euforia que o público recebeu o agrado de escutar “Specialist”, mostrando para Paul Banks (vocais, guitarra) e Daniel Kessler (guitarra), membros da formação oficial, que conhecem bem a história da banda. Outros três músicos subiram ao palco junto com eles: Brandon Curtis (teclado); Chris Broome (bateria), substituindo Sam Fogarino desde o ano passado, quando o baterista passou por uma cirurgia na coluna; e Brad Truax (baixo), ocupando a memorável posição deixada por Carlos Dengler em 2010.

Show de luzes, emoção e empolgação do público

Sob uma luz vermelha, assim como na capa de Turn On The Bright Lights, Interpol engatou em “Say Hello to the Angels”, reconhecível desde os primeiro riffs, e “Obstacle 1”. Esta, uma das faixas mais ouvidas da banda até hoje. “NYC” levou a plateia aos gritos com o jogo de luzes, bem no momento em que elas se acendiam enquanto Banks cantava: “It’s up to me now, turn on the bright lights”.

“Roland” e “Hands Away” antecederam “Stella Was a Diver and She Was Always Down”. A música teve seu refrão cantado em coro pela plateia. “Leif Erickson”, dona de um dos versos mais famosos da banda (“But if your life is such a big joke, why should I care”), empolgou na sequência, principalmente porque o Interpol não tocou a música dois dias antes, na sua apresentação no Rio de Janeiro. Fato que levou a inúmeros pedidos nas redes sociais para que a faixa fosse incluída no setlist de São Paulo.

“PDA” encerrou o bloco dedicado ao Turn On The Bright Lights, que só não foi tocado por completo porque “Obstacle 2” e “The New” ficaram de fora do setlist. Após uma breve pausa, a banda voltou ao palco para apresentar Antics na íntegra.

A segunda parte do show com Antics

“Next Exit” fez as honras do disco, que é o favorito de Paul Banks. Em 2018, o vocalista compartilhou em uma entrevista à Vice que colocou “muito sangue, suor e lágrimas” no trabalho. Nas faixas a seguir, o set seguiu a mesma ordem do disco. 

Já nos primeiros versos, com “Rosemary / Heaven restores you in life”, o público mostrou não ter esquecido a letra de “Evil”, vinte anos após seu lançamento. “Narc”, “Take You on a Cruise” e  “Slow Hands” continuaram a embalar o ar nostálgico que tomou conta da Audio.

Na segunda metade de Antics, “Not Even Jail” e “Public Pervert” desacelaram o ritmo das faixas anteriores, dando destaque ao guitarrista Daniel Kessler, que atraía os mesmos olhares atentos da plateia quanto Paul Banks.

Enquanto “C’mere” fez com que muita gente pulasse enquanto cantava o refrão, “Length of Love” e “A Time to Be So Small” levou a plateia à atmosfera melancólica que a banda domina tão bem e pela qual se tornou tão conhecida.

Com o bis de uma única música, “Untitled”, Interpol encerrou a noite que teve todos os ingressos vendidos. Para alguns dos presentes, ainda teria a parte dois, no dia seguinte, mas para outros, o “I will surprise you sometime / I’ll come around, when you’re down” ficou como uma promessa para guardar na lembrança.

Tags:
Categorias: Notícias Resenhas