Na última quinta, 09, Rico Dalasam fez pela primeira vez uma apresentação na cidade de Ribeirão Preto. O show aconteceu no Theatro Pedro II e foi promovido pelo Sesc.

Ele apresentou seu último álbum Escuro Brilhante, Último Dia no Orfanato Tia Guga, mas passou por toda sua discografia. No palco, Rico contou com Dinho Souza que além de produtor musical,  ficou responsável pelo teclado e live eletronics.

O local do show já é um espetáculo à parte, o Theatro Pedro II inaugurado em 1930 é considerado o terceiro maior teatro de ópera do Brasil. Durante o show, Rico fez questão de ressaltar a importância de um rapper negro se apresentar em lugares assim. 

Na hora marcada a cortina do teatro se abriu e com todos sentados Rico começou o show pela música “Espero Ainda”. Mas ao fim dela, Dalasam convidou todos a se levantarem e dançar com ele. A partir de então, ele apresentou as músicas de seu álbum novo intercalando com as mais conhecidas de sua carreira como “Fim Das Tentativas” e “Guia de Um Amor Cego”.

No disco Escuro brilhante Rico explora sua vivência na infância. E apesar de letras melancólicas a batida deixa as músicas bem dançantes, como no caso de “Jovinho” e “Imã”. Mas são nas baladas como “Quebrados” que o cantor mostra todo seu talento poético e vocal. Entre uma música e outra Dalasam contava a importância da música em sua vida. Além disso, contou que mesmo com o disco recém lançado não  para de compor, e cantou um pedaço de uma música que está em processo de composição. 

A “Braile” apareceu duas vezes no setlist. A primeira vez em uma versão intimista no meio do show. Na segunda vez, foi atendendo aos pedidos do público por um bis.

Por fim, shows em teatros como esse de Ribeirão são sempre incríveis, mas deixam a dúvida de levantar ou não. No caso do Dalasam, que mistura rap, poesia e batidas dançantes, o convite para todos se levantarem, tornou a apresentação ainda melhor e inesquecível. 

LEIA TAMBÉM: Rodrigo Alarcon mostra completa sintonia com os fãs em show esgotado em São Paulo

Categorias: Notícias Resenhas